sábado, 20 de outubro de 2012

Avenida Brasil, quem não viu?

Uma novela, um filme, uma peça de teatro, o que me interessa é a cena e o modo de fazer. Assim também a pintura, a fotografia, a música e sua estória de origem, a arquitetura e a construção do desenho. Tudo isso me interessa. 

Assisti a novela quase inteira pois além de propiciar um momento de desligamento dos fardos da vida, cada capítulo tinha uma cena acabada, um desfecho, e os atores foram criadores e criaturas, só ontem pelo jornal que leio todos os dias fiquei sabendo que era o último capítulo. Foi uma surpresa no mínimo curiosa pois isto significa que a cena em si foi mais forte que a notícia sobre ela. Gostei. Muitas coisas irreais, mas, se não fosse assim não era ficção.

Vi entrevistas de atores e autor explicando o processo de elaboração muito rico, como toda obra coletiva. Será  que a arquitetura não deveria ganhar este status?

Nenhum comentário:

Postar um comentário