quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A cidade de São Paulo está acordando para mudar

A política ocupa um pouco mais a reflexão do dia a dia porque é o momento de falarmos de São Paulo, da cidade que queremos viver. A cidade está esgotada de ações incompletas e inadequadas para seu conjunto. A política define os projetos que serão realizados, define o equilíbrio ou não no interesse dos cidadãos.

Acho que com Haddad e Nádia Campeão São Paulo poderá dar um passo adiante. E pode-se perguntar para quem mesmo? Para todos nós.

Para quebrar com a lógica da segregação espacial em que a cidade vive. Para democratizar o acesso ao que a cidade tem de melhor. Trabalho, cultura e desenvolvimento humano pela educação. Para trazer para os bairros mais centrais a vida de novo que o morar agrega à vida urbana e levar para a periferia a melhor qualidade da vida urbana.

Para diminuir o ritmo dos automóveis para que as pessoas possam caminhar e enxergar a história da paisagem, das planícies do Rio Tietê e do Rio Pinheiros da zona sul à zona leste da cidade, do "canyon" da Nove de Julho, da Serra da Cantareira na zona norte, dos outeiros das igrejas das freguesias da época colonial, do Páteo do Colégio, da Freguesia do Ó, da Igreja de São Miguel, do espigão da Paulista, das nascentes da Vila Mariana que alimentam o lago do Ibirapuera.

Para unir a cidade e possibilitar que a sociedade se enxergue como um todo, como a terra do entroncamento de caminhos que ajudaram a ocupar e a consolidar a unidade do território nacional, terra formada por migrantes de todas as regiões do país e de todas as nacionalidades estrangeiras, que acolhe os que aqui vem trabalhar, estudar, crescer.

Dar um passo adiante. Aumentar suas calçadas, ampliar as linhas de metrô, desafogar a paisagem, desconstruir o que não nos serve mais e deixar a cidade respirar e os rios renascerem. Ver o serviço público de saúde e educação com a dignidade que merecemos todos nós paulistanos, nascidos ou acolhidos por esta cidade. Deixar a cultura que brota por toda a cidade acontecer em espaços dignos  e valorizar o jovem que enche a cidade de vida no vai e vem nas ruas e apoiar homens e mulheres nos seus afazeres além do trabalho.  Nós todos precisamos viver mais e correr menos, é o que espero para minha cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário