sábado, 31 de março de 2012

Esotérico - Gilberto Gil


Não adianta nem me abandonar

Porque mistério sempre há de pintar por aí
Pessoas até muito mais vão lhe amar
Até muito mais difíceis que eu prá você
Que eu, que dois, que dez, que dez milhões, todos iguais
Até que nem tanto esotérico assim
Se eu sou algo incompreensível, meu Deus é mais
Mistério sempre há de pintar por aí
Não adianta nem me abandonar (não adianta não)
Nem ficar tão apaixonada, que nada
Que não sabe nadar
Que morre afogada por mim



Esta foi a música de hoje, a vida vai em frente sem parar e o que era pequeno vai ocupando o seu devido lugar no espaço, deixando de ser grande demais. O corpo deve suportar a mente com equilíbrio e ficar na justa medida da vida, nem mais, nem menos. O balé mostra isso com muita clareza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário